Papelaria digital, design gráfico e logomarcas para todo Brasil

orçamento de logotipo

São Paulo (11) 9958-12346

Rio de Janeiro (21) 99954-2027

Solicite orçamento sem compromisso pelo WhatsApp ou pelo email logo@evef.com.br

Homenagem ao Tom Jobim

santinho luto falecimento modelo 138 digital

 

Usando a imagem acima, foi criada a imagem do santinho digital virtual de luto e falecimento do Tom Jobim:

 

santinho luto falecimento modelo virtual digital

 

Detalhes técnicos do desenho do santinho de luto.

Fonte do tipo de letra usada no nome do homenageado: Buttweasel

Fonte do tipo de letra usada na mensagem principal: Corbel

Texto usado na mensagem principal: Código 286

Quando uma árvore é cortada ela renasce em outro lugar.
Quando eu morrer, eu quero ir para esse lugar,
onde as árvores vivem em paz.
(prosa de autoria do próprio homenageado)

 

Sobre o homenageado 

Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, mais conhecido pelo seu nome artístico Tom Jobim, foi um compositor, maestro, pianista, cantor, arranjador e violonista brasileiro. É considerado o maior expoente de todos os tempos da música popular brasileira pela revista Rolling Stone e um dos criadores e das principais forças do movimento da bossa nova.

Aprendeu a tocar violão e piano em aulas, entre outros, com o professor alemão Hans-Joachim Koellreutter, introdutor da técnica dodecafônica no Brasil.

O trisavô paterno do compositor, José Martins da Cruz Jobim, era natural de Jovim, Gondomar, Portugal. O sobrenome de Jobim alude a essa localidade. A bisavó do compositor, Maria Joaquina, era meia-irmã do barão de Cambaí, Antônio Martins da Cruz Jobim. Era descendente, também, do bandeirante Fernão Dias Pais.

Durante toda a sua carreira, Tom Jobim homenageou por meio de suas canções, seu bairro Ipanema, o Rio de Janeiro e o Brasil.

Embora se chamasse Antônio, poucos chamavam-no assim. A maioria o conhecia como Tom ou Tom Tom, apelido dado pela irmã dele, Helena, que, quando criança, não sabia pronunciar o nome dele. Jobim cresceu em meio a artistas e à cena boêmia carioca.

Durante sua vida artística, Jobim compôs sobre três temas com mais frequência: o amor, a natureza, em especial a fauna e flora brasileiras, e o Rio de Janeiro. Nas suas obras, também gostava de falar sobre o Brasil e seus costumes.

Já como músico, na década de 40 e início de 50, Tom Jobim tocava piano em bares e boates dos bairros de Copacabana e Ipanema, apelidados por ele próprio como “inferninhos”. Paralelamente, estudava orquestração, harmonia e composição.

Em 1952, o brasileiro foi contratado pela gravadora Continental. O primeiro grande sucesso musical de Tom Jobim foi um samba-canção intitulado “Tereza da praia”, em 1954.

Principais músicas de Tom Jobim

  • “Chega de saudade” (1958)
  • “Corcovado” (1960)
  • “Samba do avião” (1962)
  • “Só danço samba” (1962)
  • “Wave” (1967)
  • “Águas de março” (1973)
  • “Lígia” (1973)
  • “Samba de uma nota só” (1974)

A carreira de Tom Jobim foi marcada por inúmeras parceiras de sucesso. Entre seus parceiros nacionais, podemos citar:

  • Astrud Gilberto;
  • Baden Powell;
  • Billy Blanco;
  • Dolores Duran;
  • Elis Regina;
  • Eliseth Cardoso;
  • Flora Purim;
  • Gal Costa;
  • João Gilberto;
  • Newton Mendonça;
  • Sergio Mendes;
  • Silvinha Teles, entre outros.

Parceria com Vinícius de Moraes

Inquestionavelmente, a parceria mais famosa de Tom Jobim foi com o poeta Vinícius de Moraes. Segundo o próprio compositor, foi uma parceria frutífera e muito gratificante, uma das mais importantes da MPB.

Em meados da década de 50, Moraes estava procurando alguém para fazer a música da peça “Orfeu da Conceição”. Jobim foi o escolhido. Começou, assim, a longa parceria de ambos, que também foi levada à vida pessoal. Juntos, compuseram mais de 50 músicas.

A peça “Orfeu da Conceição” foi lançada em 1956, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Jobim orquestrou, regeu e compôs parte de trilha musical. Fez parte da peça a música “Se todos fossem iguais a você” – um dos maiores sucessos da dupla.

A peça virou o filme “Orfeu Negro”, que, em 1959, ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro. Também foi agraciado com a Palma de Ouro no Festival de Cannes na França.

Confira algumas músicas da parceria entre Tom Jobim e Vinícius de Moraes:

  • “Aquarela”
  • “Chega de saudade”
  • “Derradeira primavera”
  • “Eu não existo sem você”
  • “Eu sei que vou te amar”
  • “Falando de amor”
  • “Insensatez”
  • “Garota de Ipanema”
  • “Por toda minha vida”
  • “Se todos fossem iguais a você”
  • “Garota de Ipanema”

Embora Jobim e Moraes tenham feito várias parcerias musicais, “Garota de Ipanema” é a mais conhecida de todas. Pesquisas indicam que essa canção, mundialmente conhecida, faz tanto sucesso até hoje, porque fala sobre coisas simples da vida e as pessoas têm empatia por isso.

Em entrevista a uma rádio no final da década de 70, Tom Jobim contou que o episódio narrado na música “Garota de Ipanema”, a mais famosa de sua carreira, realmente aconteceu.

Jobim lembrou que, no início dos anos 1960, em Ipanema, realmente havia uma garota excepcionalmente bonita. Enquanto ele e seus amigos tomavam um chopp no bar Veloso, a moça passava por lá a caminho do mar e todo mundo parava para vê-la, porque a moça “era cheia de graça”.

O compositor criou uns esboços da letra da música e os mostrou ao seu amigo Vinícius de Moraes, que também deu algumas pitadas. Assim, em 1962, nasceu a canção “Garota de Ipanema”. Em 1965, Jobim disse que a garota que serviu como inspiração para a música era real e, na época, tinha 18 anos. Ela chama-se Helô Pinheiro e até hoje tem status de celebridade.

Pesquisas apontam que a música “Garota de Ipanema” foi gravada mais de 200 vezes ao redor do mundo. Estados Unidos, Alemanha e Japão são alguns dos países onde foram feitas gravações. Há uma lenda que diz que “Garota de Ipanema” foi a segunda música mais tocada no século 20, somente atrás da canção “Yesterday”, dos Beatles.

Homenagem

O Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, também conhecido como Galeão, passou a chamar-se, em 5 de janeiro de 1999, Aeroporto Antônio Carlos Jobim em homenagem ao músico. Na placa, constam os seguintes dizeres: “Homenagem da nação brasileira ao maestro Antônio Carlos Jobim, que soube cantar a beleza da cidade maravilhosa.”


 

Confira aqui outros textos sugeridos para publicar em santinhos de luto e falecimento.

Confira aqui outras imagens de fundo que podem ser aplicadas em modelos de santinhos virtuais digitais.

 


A Agência EVEF trabalha com a criação de modelos de santinhos de luto e falecimento.

Contate-nos via WhatsApp e solicite um orçamento para receber a sua imagem personalizada e arquivo PDF do santinho digital (virtual).