UPS Logística

A United Parcel Service, mais conhecida por UPS, é a maior empresa de logística do mundo, distribuindo diariamente mais 14 milhões de encomendas em mais de 200 países.

A sua sede é em Atlanta nos Estados Unidos. Confira nesse vídeo do Youtube um de seus famosos comerciais na TV.

História

A United Parcel Service (UPS) começou as suas atividades num pequeno escritório em 1907, quando Jim Casey e Claude Ryan (dois adolescentes de Seattle), com duas bicicletas e um telefone prometiam "o melhor serviço pelos menores preços". A UPS transformou-se numa corporação com valor de mercado superior a 70 bilhões de dolares, focando claramente o objetivo em permitir o comércio no mundo inteiro.

Hoje, a UPS é uma empresa mundial com uma das marcas mais reconhecidas e admiradas no mundo. Como a maior empresa do mundo em transporte expresso e entrega de pacotes, também é uma fornecedora líder em transporte especializado, logística, capital e serviços de e-commerce.

Logística na UPS

Com o passar dos anos a UPS vem destacando-se na gerência global de cadeias de suprimento. Nesta empresa na área da logística e da distribuição, além de gerenciar a circulação das mercadorias e toda a informação e valores que seguem nessas mercadorias.

Atendendo a demanda de seus clientes, a UPS criou uma empresa capaz de oferecer estes serviços, a UPS Supply Chain Solutions, organização que desempenha de maneira eficiente serviços logísticos com nível internacional e financeiro, e trata também da correspondência e documentos de modo a aperfeiçoar a competitividade dos seus clientes melhorando também as suas cadeias de suprimentos.

Atualmente a UPS vem expandindo todos seus serviços em todo o mundo, fazendo com que os seus clientes da Europa e da América do Sul beneficiem de um portfólio de serviços de prazos definidos e cadeias de suprimentos imbatíveis. O continente asiático passou a ser o principal objetivo de crescimento da empresa. Em 2005 foi lançado o primeiro serviço non-stop de entrega de mercadorias entre os Estados Unidos e Guangzhou, China.

Através de aquisições a UPS tem conseguido penetrar em vários mercados. Ao comprar a empresa Challenge Air em 1999, a UPS tornou-se a maior transportadora de carga aérea e encomendas expressas de toda a América Latina. Ainda em 1999 adquiriu a Fritz Companies consolidando sua presença no tranporte de cargas pesadas que somado ao volume de cargas de pacote (courier) a tornou a maior transportadora (em volume) do mundo.

logotipo ups

Em 2004 a UPS adquiriu a Menlo Worlwide Forwarding aumentando assim o seu poder de transporte aéreo. Em 2005 ao adquirir a Overnite ampliou os seus serviços rodoviários na América do Sul.

Os maiores concorrentes dentro dos Estados Unidos são a United States Postal Service (USPS), FedEx e DHL. Além destas empresas de transporte, a UPS concorre com uma variedade de operadores internacionais, incluindo o Canadá Post (em inglês), TNT NV, Deutsche Post (Proprietário da DHL), Royal Mail, Japan Post, Índia Post e muitas outras operadoras regionais, nacionais e dos serviços postais aéreos

Concorrência

Historicamente, o volume de competição da UPS deriva de serviços base de entregas sem custos, tais como Parcel Post (USPS). Em 1998 a FedEx-expandiu para o mercado através da aquisição da RPS (originalmente Pista Pacote System) criando assim a FedEx-Ground, em 2000. Em 2003 a DHL (americana) expandiu as suas operações através da aquisição da Airborne Express, aumentando significativamente a sua presença nos Estados Unidos, tornando-se uma grande concorrência no mercado de entrega.

Em resposta a esta situação, a UPS em parceria com os E.U. Postal Service passaram a oferecer a UPS Mail Innovations, um programa que permite a UPS pegar o correio e transferi-lo para um centro USPS ou para a unidade de entrega do destino, (destination delivery unit, DDU), para distribuição final. Este processo é também conhecido como zone skipping, muito usado pela Parcel Consolidators.

O crescimento contínuo das compras on-line, combinada com o aumento da consciencialização que o papel de transporte (incluindo o pacote de entrega) tem sobre o meio ambiente, contribuiu para o aumento da concorrência. Por exemplo, os E.U. Postal Service reivindicam "entregas ecológicas" de parcelas no pressuposto de que a USPS carta transportadoras entregar a cada endereço, seis dias por semana, portanto, oferece o mais baixo preço do setor por entrega.

Outras operadoras, como ParcelPool, especializada na entrega de pacotes residenciais APO-FPO, surgiram em resposta à maior procura por parte dos varejistas virtuais para diminuir os custos de envio e entrega.caminhão da ups

Frota de veiculos de entrega

O veículo de entrega da UPS é também um importante símbolo do mundo empresarial americano. O clássico carro de entrega da UPS é construído sobre um chassi General Motors e Ford, tem uma transmissão e direção manual, e os mais antigos são facilmente reconhecíveis devido aos seus faróis redondos.

Os automóveis de entrega mais recentes na América do Norte, já possuem um chassi Freightliner ou Navistar International. A UPS também utiliza Dodge Sprinter nas zonas rurais, bem como Dodge Grand Caravan Minivans.

Entregas aéreas

Desde o lançamento da UPS Airlines (em 1988) a UPS teve dois esquemas de cor para a sua frota. O primeiro foi introduzido em 1988 e ainda é visto em alguns de seus aviões hoje em dia. Consistia em uma fuselagem branca com um pouco de cinza no fundo. Uma faixa castanha encontra-se localizada na linha da janela.

As palavras United Parcel Service estão localizadas acima da faixa na frente da metade da fuselagem. Nas aeronaves 747, as letras das United Parcel Service eram muito maiores e estão localizadas ainda mais para trás. O estabilizador vertical possui o então escudo da UPS atual.

Atualmente, o esquema de cores foi introduzido como o novo projeto de branding em 2003. O fundo cinza permanece, mas a faixa castanho foi progressivamente eliminada a ser substituída por uma concepção de arqueamento.

O gigantismo da UPS

Para entender o gigantismo da UPS é preciso dar um mergulho em seu impressionante centro logístico, que funciona 24 horas por dia e movimenta 6% do PIB americano. Todas as noites, infalivelmente às 23h, os céus se abrem sobre a cidade de Louisville, no estado americano de Kentucky. O movimento é preciso, no exato ponto de encontro entre a latitude 38°09' Norte e a longitude 85°44' Oeste.

Começa, então, uma diferente revoada. Pássaros metálicos gigantes, de corpo branco e cauda marrom, decolam e pousam as centenas até o amanhecer seguinte, num ritmo cadenciado: um a cada 90 segundos. Chegando ou partindo, estão sempre carregados. Em terra, descansam alinhados enquanto alimentam um imenso ninho, com o tamanho equivalente a 40 campos de futebol, e dão vida a uma frenética atividade em plena madrugada.

Naquele pedaço de 371 mil metros quadrados encravado dentro dos limites do aeroporto internacional de Louisville não se dorme nunca. Some-se a isso 122 milhas (200 quilômetros) de esteiras de alta velocidade (longas o bastante para esticarem-se de Louisville a Indianápolis) e uma base de dados capaz de manejar 59 milhões de transações por hora.

Dali, a UPS se conecta com sua frota de mais de 260 aviões a mais de 220 países e territórios em todos os continentes. Naquele período, o espaço aéreo pertence apenas às aeronaves de carga da empresa (que, em número, tornam a UPS a nona maior companhia aérea do planeta). E, a partir dos milhares de contêineres que elas despejam todas as noites, tem início uma operação quase invisível, mas de proporções impressionantes.

A cada hora, 304 mil (mais ou menos 140 por segundo) pacotes e caixas de todos os tamanhos passam por ali, numa conexão entre o seu ponto de partida e o seu destino final. São tocados apenas duas vezes, ao serem desembarcados na chegada e reembarcados na saída, embora seis mil pessoas estejam trabalhando simultaneamente em meio a uma incrível teia de esteiras rolantes de alta velocidade.

Em termos de volume e automação, não há nada que se compare ao que acontece no Worldport, o maior centro de operações da UPS. Erguido a partir de 1982, com sucessivas expansões, a um custo de US$ 1 bilhão, o Worldport colocou uma tranqüila cidade interiorana no mapa da economia mundial. Por que Louisville? A geografia e a meteorologia têm a resposta. O clima da região, mais estável que em outros pontos do país, é perfeito para quem depende de pistas de pouso permanentemente abertas. Estrategicamente localizada no centro da metade mais densamente povoada dos Estados Unidos, dali se pode alcançar, de caminhão, 80% da população americana em menos de 48 horas.

Embora a companhia seja hoje global, a demanda doméstica ainda é crucial para seus negócios. A UPS transporta 6% do PIB americano. Numa conta rápida, mais de US$ 850 bilhões em encomendas vão e vêm por ano nos aviões e nos caminhões marrons da empresa - e o entroncamento de Louisville tem tudo a ver com esse movimento todo. O Worldport, assim, vira também um indicador da atividade econômica do país.

Mais que o orgulho de uma empresa centenária, o Worldport é o principal cartão de visita da UPS na captação de clientes para suas outras áreas de atuação. A eficiente complexidade daquela cidade de vias superpostas atesta a capacidade da empresa em assumir tarefas grandiosas e com alta exigência tecnológica. A UPS investe US$ 1 bilhão ao ano em pesquisa e desenvolvimento - e parar, por alguns minutos, a observar um simples envelope com documentos viajar pelo Worldport permite entender como esse dinheiro é gasto. No trajeto entre a entrada e a saída do centro, cada encomenda permanece em média apenas de 12 a 15 minutos trafegando a uma velocidade de 55 quilômetros por hora. Num sobe e desce aparentemente desordenado, passa por seis leitores ópticos, que, automaticamente, definem o trajeto a ser percorrido até o contêiner que o levará ao seu destino final. Hoje, em 24 segundos, duas mil encomendas são processadas no Worldport. Quando tudo começou, em 1982, levava-se uma noite inteira para fazer o mesmo trabalho. Dentro e no entorno do aeroporto, o tráfego de veículos com a cor e o logotipo da empresa é incessante.

Assista nesse link do Youtube o vídeo que exibe uma rotina comum, gravada no aeroporto de Ancorage, no Alaska (EUA). Nesse vídeio podemos ver o taxiamento e decolagem de um Jumbo 747 carregado com destino à China. Chegando em seu destino algumas horas depois, certamente descarregaram a aeronave e recarregaram com novas encomendas. Assim a UPS vai cruzando os céus do mundo inteiro, diariamente.


A UPS é uma das marcas mais valiosas do mundo. Confira a lista completa das marcas.