GE (General Electric)

A General Electric Company, também conhecida por GE, é uma empresa multinacional de serviços e de tecnologia. De acordo com a Financial Times Global 500 de dezembro de 2010, é a décima terceira maior companhia do mundo. Nos anos 60, peculiaridades nas leis fiscais dos EUA e práticas contábeis tornaram possível a criação dos conglomerados. GE, que foi um conglomerado muito antes do termo ser difundido, é uma das poucas corporações que alcançaram sucesso com este tipo de organização. Atua em 100 países e emprega cerca de 300.000 pessoas em todo o mundo.

Confira no artigo abaixo a história, as curiosidades, os desafios, os produtos e os logotipos criados pela General Electric. Veja também a entrevista do CEO Global Jeff Immelt para o programa 60 minutos da rede americana de TV CBS em 2011. Parte da entrevista foi gravada em Petrópolis, no Rio de Janeiro, onde a GE está possui um centro de manutenção. Conheça mais detalhes e inovações que permitiram a GE se tornar uma das marcas vais valiosas do mundo.

A General Electric tem a nona marca mais reconhecida no mundo, no valor de quase US $ 45 bilhões. O CEO Jeffrey Immelt solicitou um conjunto de mudanças na apresentação da marca encomendada em 2004, depois que ele tomou as rédeas como presidente, para unificar as muitas empresas da GE. As alterações incluíram uma nova paleta de cores corporativas, pequenas alterações da logomarca da GE, uma nova fonte personalizada (GE inspiração) e um novo slogan, "imaginação no trabalho", que substitui o antigo lema "nós trazemos coisas boas para a vida", composto por David Lucas.

As alterações foram concebidas pela Wolff Olins e são amplamente utilizados pelo marketing da GE, da literatura ao site. O valor da marca é reforçado pela propriedade do domínio www.ge.com. O domínio foi registrado em 5 de agosto de 1986.

logo ge

Perfil da Genetral Electric

Apesar de ser apontada como uma empresa inovadora e pioneira, no final da década de 70 a GE vivia um momento delicado: a concorrência já não permitia que suas tecnologias se distinguissem no mercado e a necessidade de rapidez e de melhoria contínua exigia a eliminação de barreiras internas de funcionamento, permitindo uma comunicação mais eficaz e um menor tempo de resposta. A mudança de atitude teria que ser radical.

Foi então, que em abril de 1981, um homem chamado Jack Welch assumiu a presidência da empresa com a tarefa de recuperar os dias de glória de um gigante. Ele planejava fazer uma revolução na GE, que apesar de alguns problemas era uma empresa saudável. Welch rapidamente mostrou que também seria o primeiro grande executivo dos tempos modernos a exigir grandes mudanças: tirou a empresa do ramo dos pequenos aparelhos domésticos; diminuiu a força de trabalho de 404 mil para 229 mil, acabando inclusive com a antiga política de não-demissão da GE, o que lhe valeu o apelido de Nêutron Jack (por causa da bomba que destrói as pessoas, mas deixa os prédios intactos); fechou 73 fábricas; e eliminou 232 produtos do portfólio.

Ele vendeu US$ 12 bilhões em negócios da GE e adquiriu outros que estavam avaliados em US$ 26 bilhões. Entre eles estavam a RCA CORPORATION e sua rede de televisão NBC, adquiridas em 1986. Concordou em combinar os interesses europeus da GE em aparelhos, equipamentos médicos, distribuição elétrica e sistemas de energia com a não relacionada General Electric Company of Britain. Isso impulsionou o sucesso de mercado da empresa, alçando o faturamento de US$ 12 bilhões para mais de US$ 100 bilhões, acumulando crescente admiração juntamente com a rápida diminuição das constantes queixas.

Ele também investiu US$ 200 milhões naquele primeiro ano para dar o pontapé inicial no programa de 200 novos projetos. A lenda de Welch cresceu quando a GE tornou-se, em 1997, a primeira empresa do mundo a ultrapassar a barreira de US$ 200 bilhões em valor de mercado. Nesta época, das 350 unidades de negócios que tinha quando Jack assumiu a presidência, a GE manteve apenas 12: motores para aviões, eletrodomésticos e ar condicionado, serviços financeiros, distribuição elétrica, sistemas industriais, serviços de informação (serviços de Internet e Intranet), equipamento médico, iluminação, plásticos, sistemas de energia (turbinas e energia nuclear), sistemas de transporte (locomotivas) e a NBC.

Até 2001, quando deixou o cargo, ele construiu uma GE mais magra, mais forte, mais competitiva — com menos pessoas, menos unidades de negócio, menos níveis, e menos gestores – e muito mais valiosa (em sua gestão, o valor de mercado da empresa saltou de US$ 14 bilhões para US$ 410 bilhões). Nos últimos anos, a empresa centenária, sob o comando do competente Jeff Immelt, ex-chefe da divisão médica da GE e ex-vice-presidente da área plástica, viveu um momento histórico: pela primeira vez, em 2007, mais da metade das vendas globais, veio de fora dos Estados Unidos.

lampada ge ledNa última década, a GE abriu seus três primeiros centros de pesquisa fora dos Estados Unidos: na Índia (Bangalore) em 2000, na China (Xangai) em 2003 e na Alemanha (Munique) em 2004. Em quase 120 anos GE se tornou um mito corporativo, ajudou a iluminar o mundo e ensinou a várias gerações de executivos o valor da inovação.

Um gigante

A GE é um verdadeiro gigante global. De turbinas de avião, geração de energia e serviços financeiros, passando por processamento de água, diagnóstico por imagem e entretenimento, a GE se dedica a transformar idéias em produtos e serviços que ajudam a resolver alguns dos desafios mais complexos do mundo.

É a maior fabricante mundial de motores de grande e pequeno porte para aeronaves comerciais e militares, e na produção de sistemas mecânicos e elétricos para aeronaves. Também é uma das maiores fabricantes do mundo dos principais equipamentos domésticos (refrigeradores e freezers, fornos de cozimento rápido e de microondas, fogões elétricos e a gás, lavadoras e secadoras, lava - louças, trituradores e compactadores de lixo, aparelhos de ar condicionado e sistemas de purificação de água), comercializados com as marcas Monogram, Profile Performance, Profile, GE, e Hotpoint, assim como diversos produtos com marcas de terceiros. A empresa produz ainda mais da metade das locomotivas a diesel para trens de carga na América do Norte e suas locomotivas operam em 75 países. 

Imaginação ecológica

A americana Lorraine Bolsinger, uma das vice-presidentes da GE, costuma dizer que vinha buscando tornar o dia-a-dia de sua família mais correto ecologicamente. Trocou as lâmpadas de sua casa por outro modelo (da GE, naturalmente), de menor impacto ambiental. Controlava o consumo de água e dava preferência a alimentos orgânicos. Fazia compras com um cartão de crédito (também da GE) que destinava um percentual dos gastos a projetos de combate à mudança climática. Seu luxuoso automóvel a gasolina foi substituído por outro, híbrido. Há um aspecto, porém, no qual a executiva ainda não conseguiu grande avanço. Ela estabeleceu o pagamento de uma multa de US$ 2 cada vez que seus dois filhos deixam a luz acesa desnecessariamente em algum cômodo da casa.

Na GE, ela ajudou seus colegas a conquistar resultados impressionantes. A executiva esteve à frente da ECOMAGINATION, iniciativa lançada no ano de 2005, pelas mãos do agora CEO Jeffrey Immelt, com o objetivo de transformar desafios ambientais em estímulo à inovação e em fontes de receitas, além de reduzir os danos ecológicos causados pela empresa. No primeiro ano, os produtos que recebiam o selo ECOMAGINATION renderam à GE US$ 10 bilhões. Três anos depois, as metas já haviam sido superadas ou estavam próximas disso.

A redução na emissão de gases do efeito estufa, que deveria ser de 1% até 2012 (em comparação com 2004), chegou a 8% em 2007 e atingiu 24% em 2010. A empresa estima que, sem perseguir esse objetivo, as emissões teriam aumentado 30% no período, graças ao crescimento no volume de negócios. O número de produtos com selo ECOMAGINATION, que atesta melhor desempenho ambiental e econômico, mais que triplicou. Passou de 17, em 2005, para 110, atualmente.

Entre eles há de locomotivas híbridas a turbinas menos poluentes para aviões ou sistemas industriais de filtragem e reutilização de água. “Quando lançamos a iniciativa, decidimos que ela seria voltada para o crescimento dos negócios”, dizia Lorraine. “Veja o que aconteceu. É a prova de que são esses os produtos que nossos clientes querem”.


 

A marca no Brasil

A GE foi uma das primeiras multinacionais a acreditar e investir no Brasil, instalando sua primeira fábrica de lâmpadas no Rio de Janeiro em 1919, sendo responsável pela iluminação dos mais famosos pontos turísticos da capital carioca, como o Cristo Redentor, o Estádio do Maracanã e a Lagoa Rodrigo de Freitas. Além disso, começou a construir usinas para a conversão de energia hidráulica em eletricidade.

Já em 1933 a GE iniciava atividades no campo dos aparelhos de raios-X. No início da década de 50, a empresa apresentou o primeiro refrigerador doméstico ao Brasil, fabricado em Santo André. Nas décadas seguintes a GE esteve presente na vida de milhões de brasileiros com a entrega da primeira locomotiva elétrica à Companhia Paulista de Estradas de Ferro em 1968; da TV em cores, com o modelo Instant Color, em 1971; com a criação da GE DAKO, produtora de eletrodomésticos, em 1996; do ingresso da GE Money no mercado ao comprar o Banco Mappin e a financeira Mesbla, em 1998; da apresentação da tecnologia de mamografia digital, seis anos antes da concorrência, no ano de 2000; e da retomada da produção de locomotivas de grande porte em Contagem (MG), em 2008.

Atualmente a GE possui oito instalações industriais no país, distribuídas entre os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, além de escritórios de vendas e marketing em outras localidades. A empresa emprega aproximadamente 7.000 pessoas e tem sua matriz instalada na cidade de São Paulo. Todos os 11 negócios da GE, em maior ou menor proporção, mantêm atividades no Brasil. De manutenção para motores de aviões a geração de energia, passando por serviços financeiros, eletrodomésticos, equipamentos de diagnóstico por imagem e plásticos de engenharia, a GE oferece ao mercado brasileiro o que há de mais sofisticado em tecnologia de produtos e serviços.


 

A marca no mundo

A GE opera em mais de 100 países, distribui seus produtos em outros 180, empregando mais de 285 mil pessoas em todo o mundo. Sua linha de produtos ultrapassa os 800 itens, desde uma simples lâmpada passando por processamento de água, diagnóstico por imagem, a potentes turbinas de avião e locomotivas. Com faturamento superior a US$ 150 bilhões a GE é a sexta maior empresa americana e uma das maiores empregadoras do país.

Em 2010 a GE investiu US$ mais de US$ 5 bilhões em pesquisas e desenvolvimento de novos produtos, o que resultou em aproximadamente 2.200 patentes em vários segmentos de negócios.

Você sabia?

Atualmente, há mais de 2.850 locomotivas em operação no Brasil, 80% delas no transporte de minérios. Dessas, 1.145 são da marca GE.
O domínio www.ge.com foi registrado no dia 5 de agosto de 1986.
Thomas Edison (fundador da GE) é até hoje o maior inventor de todos os tempos, tendo sido autor de 1.093 invenções.


Programa 60 minutos com Jeff Ilmmet

O Presidente & CEO Global da General Electric, Jeff Immelt, foi o entrevistado no dia 9 de outubro de 2011, durante o programa 60 Minutos, da CBS, um dos mais importantes canais de televisão dos Estados Unidos. A apresentadora Lesley Stahl conduziu o programa e aproveitou a oportunidade para fazer um balanço desses 10 anos de Jeff à frente da GE.

Durante a conversa, eles discutiram diferentes temas desde a crise econômica mundial, até o avanço da GE como uma empresa cada vez mais global. O Brasil foi destaque do programa, uma vez que parte da entrevista foi gravada aqui, durante a última visita de Jeff ao país, dois meses antes da exibição da entrevista. O programa traz momentos dele na GE Celma, em Petrópolis, durante as celebrações de 60 anos da fábrica.

Durante a conversa, Jeff não poupou elogios ao desempenho da GE em nosso país “eles são um sucesso estrondoso no Brasil”, afirma ele em trecho da entrevista. A conversa, porém, não foi regada só a boas notícias. Também, foram abordados temas como a crise americana e o desafio dos Estados Unidos de gerar empregos em seu próprio território, num momento em que o país vive enormes dificuldades econômicas, com ameaça de entrar em um novo período de recessão. É bom lembrar que Jeff foi designado pelo presidente americano Barack Obama como o responsável por tocar um projeto que faça as grandes empresas americanas voltarem a contratar nos Estados Unidos.

Intitulado “Czar do Emprego”, a entrevista de Jeff ao 60 Minutos está imperdível. Seu vídeo está no início dessa matéria.


A GE é uma das marcas mais valiosas do mundo. Confira a lista completa das marcas.